domingo, 27 de dezembro de 2009

Alex Jones: Avatar (O filme), Controle Populacional e Nova Religião Global GAIA.

Alex Jones pega trechos do filme AVATAR, faz análises sobre a Nova Ordem Mundial e a tentativa da Elite Global de se criar uma Religião Ditatorial de adoração e defesa de GAIA.


obs : antes de postar um comentario me criticando
lembre -se que james cameron é um maçonico de altissimo grau na piramide
adepto da nova era e a favor da nova ordem mundial

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

A subida do nível do mar é “a maior mentira de todos os tempos!”


Segundo Christopher Booker, a opinião do Dr. Mörner é categórica: todas as histórias sobre a subida do nível do mar são na verdade uma mentira e um mito alarmista.
A crença de que estamos diante de um aumento catastrófico do nível do mar é o argumento mais usado para justificar os projectos contra o aquecimento global estimado em dezenas de triliões de dólares. As calotas de gelo da Antárctida e da Gronelândia irão derreter, é-nos dito, o aquecimento dos oceanos se estenderá para mais regiões, e será um desastre.

O Grupo Intergovernamental de Estudos das Mudanças Climáticas (IPCC) prevê que o nível do mar irá experimentar um aumento de apenas 59 centímetros (17 polegadas) até 2100. No entanto, no seu filme “Uma verdade inconveniente”, premiado com um Oscar, Al Gore vai mais longe. Ele fala de um aumento de 20 polegadas por meio de computação gráfica, apresenta cidades como Xangai e San Francisco meias inundadas. A imagem mostrando o centro de Londres no aperto de uma situação desesperada não nós é desconhecida. Pequenas nações submersas, como as ilhas Maldivas e Tuvalu, supostamente estão a desaparecer. Isto é o que o príncipe Charles gosta de nos dizer, e o que o Arcebispo de Cantuária repetiu novamente na semana passada.

Mas, se há um pesquisador que sabe mais sobre os níveis do mar do que ninguém, é realmente o geólogo e físico sueco Nils-Axel Morner, ex-presidente da Comissão Internacional INQUA sobre as mudanças dos níveis do mar. Depois de se esgotar todos os métodos científicos conhecidos para estudar, durante 35 anos, os níveis do mar em todo o mundo, o Dr. Mörner chegou a uma conclusão final: a subida do nível do mar não é nada mais do que um mito alarmista.

Apesar das modificações observadas, sublinhou que “os níveis do mar não sobem”. “Durante 50 anos não subiram.” Se houver um qualquer aumento durante este século,”ele não será superior a 10 cm (ou seja, 4 polegadas), com uma incerteza de 10 cm mais ou menos. Além disso, além do exame de provas, diz ele, os princípios básicos da física (o calor latente necessário para derreter o gelo), nós mostram que o Apocalipse anunciado por Al Gore e seus camaradas poderá nunca acontecer….

fonte Daily Telegraph
prova final

Alex Jones: Copenhague - Análise FINAL - Pós-Convenção (Nova Ordem a caminho)

"Codex Alimentarius" - O Nutricídio Global

DIA 31/12/2009 ENTRA EM VIGOR O POLEMICO CODEX ALIMENTARIUM , MAS VOCE NAO SABE EXATAMENTE O QUE É ISSO ,POIS NAO?.....POIS É EXATAMENTE O QUE ELE QUEREM!!!
veja os videos abaixo e descubra qual é a intenção deles

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

A FARSA DA "TEORIA" DA EVOLUÇÃO:

Assim disse Charles Darwin:

“Se fosse demonstrado que qualquer órgão complexo existisse e que ele não pudesse ter sido formado por numerosas, sucessivas e pequenas modificações, minha teoria absolutamente ruiria”. (Charles Darwin)

Pois bem, o próprio Criador já providenciou as provas de que a "Teoria" da Evolução não passa de uma mera, infundada e anticristã "teoria", que contraria as leis da própria Ciência.
Afinal, Deus criou TODAS AS COISAS. É só lerem o capítulo 1 do livro de Gênesis (que significa o Começo, o princípio de todas as coisas).

Entretanto, tendo em vista que, mais cedo ou mais tarde, nossos filhos irão ser doutrinados na "religião" evolucionista (quer seja nas escolas públicas ou particulares), para quem quiser saber mais a respeito da farsa da referida "Teoria", sugiro que assistam esses vídeos e mostrem para as crianças.
Eu já possuía os estudos por escrito, mas, "imagens valem mais que mil palavras".
Recomendo:





Ver todos esses furos da "teoria" da evolução é enxergar a beleza da criação de Deus. Um Deus que de tão Onisciente, sabendo que no futuro o homem duvidaria que o mundo foi obra de Suas Mãos, colocou tais criaturas na Terra para garantir que os homens soubessem o quão absolutamente impossível é para este mundo e todos os seus habitantes terem surgido pelo acaso evolucionário...
Mas, aí alguém pode perguntar: se isso é tão claro e lógico, por que os cientistas não vêm a público e reconhecem isso? Por que eles não aceitam o Criacionismo e encerram a discussão? A Bíblia responde:

“Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça. Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou. Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis; porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos." (Romanos 1:18-22).

Os homens teimam em fazer exatamente o que está descrito nos versículos acima: eles sabem e entendem claramente a verdade da criação, mas se recusam a glorificar a Deus reconhecendo a Sua Criação, preferindo transformar essa mesma verdade em injustiça, enganando os demais (2 Timóteo 3:13).

Por serem injustos, os cientistas simplesmente suprimem as provas (a que chamam de "elo perdido"), ocultam uma verdade que implicaria na negação de teorias às quais eles dedicaram longos anos de seus estudos. Ao se depararem com essas criaturas, que provam o Criacionismo, eles se perguntam: “será que isso evoluiu mesmo ao longo do tempo de forma lenta e gradativa, ou será que isso surgiu de uma vez do jeito que é hoje?”. Quando descobrem que não há como descrever tais criaturas por meio da "teoria" da evolução, aí resta somente uma opção: aceitar que talvez haja mesmo um Projetista, um Criador. Então decidem: não queremos ir por aí. Aí então, escondem as provas.

Os livros simplesmente ignoram esses pontos que a "teoria" de Darwin não explica, mesmo porque, se explicasse, não haveria motivos para que o livro fosse sequer escrito.

Em seu livro, o cientista (e cético) Dawkins reconhece que “a natureza é uma estrutura magnífica que só compreendemos de modo muito imperfeito”. De fato, fugindo da ótica bíblica, a compreensão que ele mesmo tem também sobre o mundo e a existência de Deus está eivada de imperfeição.

O fato é que Deus criou o primeiro casal (Adão e Eva), já, na idade adulta (sem terem tido infância, ou terem sido bebês...), assim como criou TODO O UNIVERSO que, apesar de recente, já aparentava a idade de alguns milhões de anos. Isto, os cientistas não conseguem entender, pois:

"... o deus deste século [Satanás] cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus". (2Co 4:4)

Dois grandes cientistas, Louis Pasteur e Einstein, são autores de frases que se tornaram conhecidas e que merecem ser citadas aqui:

“Um pouco de ciência nos aproxima de Deus. Muito nos afasta.”

“Sem a religião, a ciência é capenga; sem a ciência, a religião é cega.”

Com as duas frases devemos concordar. Um estudo científico pobre, parcial mesquinho e limitado sempre tentará negar a existência de Deus, mas essa negação não subsistirá se a análise for baseada na verdadeira busca imparcial da verdade. Também, a ciência jamais conseguirá explicar de forma autônoma, e independente e diferente, aquilo que a Bíblia já explicou (há anos...).

Assim também uma fé em Deus deixará de ser cega na medida em que buscar a prova de sua validade, também nas coisas naturais, nas obras da Criação de Deus, que Ele mesmo deixou para evidenciar a Sua Glória aos homens. Afinal, Deus nos criou à Sua imagem e semelhança e, portanto, dotados de inteligência (para ser usada!).

Podemos estar certos de que todo conhecimento científico que tente combater a existência de Deus ou a maravilhosa obra de Sua Criação, não terá como fugir de dois destinos: ou chegará a um ponto onde não poderá avançar, de forma lógica, e provar o objetivo da pesquisa, ou simplesmente chegará a certezas baseadas em falsas suposições, como fazem até hoje os que insistem acreditar em Darwin.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Reduzir CO2 não impede aquecimento, diz meteorologista

"Quando você olha os livros didáticos, diz lá que o nível do mar vai subir... Isso está errado! O que nós estamos fazendo? Educação ou lavagem cerebral?", questiona Molion

8 de dezembro de 2009

Carolina Oms
Especial para Terra Magazine

Para o professor Luiz Carlos Molion, representante da América Latina na Organização Meteorológica Mundial e pós-doutor em meteorologia, as reduções de emissões de carbono propostas pela 15ª Conferência das Partes sobre o Clima (COP-15), não vão produzir efeito no clima mundial, “o gás carbônico não controla o clima global”, garante.

- A quantidade de carbono lançada pelo homem é ínfima, é irrisória, se comparada com os fluxos naturais dos oceanos, solo e vegetação. Para a atmosfera, saem 200 bilhões de toneladas de carbono por ano. O homem só lança seis.


“De todas as pessoas que estão aqui no Brasil, talvez eu seja o climatologista mais sênior“. Molion estuda o clima desde 1970 e conta que, quando concluiu seu doutorado, há 35 anos, nos Estados Unidos, o “consenso” da época era que o mundo estava em uma Era Glacial. Hoje, ele também leciona na Universidade Federal de Alagoas.

Na sua avaliação Copenhague “é um discurso que não vai adiante”, pois, à medida em que a população aumenta, há a necessidade de gerar mais energia elétrica.

- Como incluir essas pessoas sem aumentar o consumo? Não existe como. Somos ainda muito dependentes dos combustíveis fósseis. Acho que vai ter muito discurso em Copenhague, vão fazer muitas promessas, mas são só demagógicas. Não tem como cumprir essas metas. Se você olhar o Protocolo de Kyoto, a Europa não reduziu absolutamente nada, ao contrário. Conversa é conversa, na prática não há como fazer isso.

O pós-doutor em meteorologia e membro do Instituto de Estudos Avançados de Berlim garante, baseado em estudos de paleoclimatologia (estudo das variações climáticas ao longo da história da Terra), que as mudanças do clima são muito complexas para serem influenciáveis pelo ser humano.

Leia os principais trechos da entrevista:

Qual a opinião do senhor sobre as movimentações em torno da Conferência do Clima?
Essas reduções de emissões de carbono não vão produzir efeito nenhum no clima. O gás carbônico não controla o clima global. Isto já foi demonstrado com pesquisas feitas no que nós chamamos de paleoclimatologia, em que se tenta reconstruir o clima passado, com base nos cilindros de gelo da estação de Vostok, na Antártica. O cilindro de gelo retirado de lá, que reconstitui os últimos 4.020 anos, mostra claramente que já houve períodos em que tivemos temperaturas altas e baixa presença de CO2 na atmosfera.
Ocorreu forte aquecimento entre 1925 e 1946, e nessa época, o homem lançava na atmosfera menos de 10% do carbono do que lança hoje. Então, aquele aquecimento, que é ainda maior do que esse atual, na realidade foi explicado por fenômenos naturais. O sol esteve mais ‘ativo’ nessa primeira metade do século XX. Além disso, foi um período que praticamente não ocorreram erupções vulcânicas. Assim, a atmosfera ficou mais limpa e entrou mais radiação solar, causando o aquecimento.
Todos os recordes de temperatura nos Estados Unidos, que têm uma série de dados bastante longa, ainda são daquela década de 1930.

Como essas temperaturas são medidas?
Termômetros na superfície. O problema é que eles estão sujeitos aos fenômenos de ilha de calor, muito comuns nas cidades. E a maior parte desses termômetros está em cidades que sofrem esses efeitos da urbanização.

Como seria mais seguro medir as temperaturas mundiais?
Tem um sistema a bordo de satélites que leva a sigla MSU, um sensor de microondas que existe desde 1968. Ele indica que, nesses 30 anos passados, não há um aumento significativo de temperatura. Houve um aquecimento entre 77 e 99, que coincide com o aquecimento do Oceano Pacífico Tropical. Os oceanos são grandes controladores do clima, em particular o Pacífico, porque ele sozinho ocupa 35% da superfície terrestre. Então, quando ele se aquece, o clima também fica mais quente: A atmosfera, o ar, é aquecido por baixo, as temperaturas mais elevadas estão próximas da superfície.
Desde 1999, o Oceano Pacífico esfria. Hoje, não só monitoramos os oceanos, mas existem mais de 3.200 boias à deriva e mergulhadoras. Elas mergulham até 2.000 metros de profundidade, se deslocam com a corrente marinha e nove dias depois elas sobem, e passam os dados para o satélite. Esse sistema mostra que os oceanos, de maneira geral, estão esfriando nos últimos seis, sete anos. E, nos últimos 10 anos, a concentração de CO2 continua subindo.

Mas há uma sensação de que existem muitas mudanças climáticas ocorrendo no mundo…
Não. O que acontece é que hoje, a população está mais vulnerável aos fenômenos meteorológicos. Na realidade, os fenômenos intensos sempre ocorreram no passado. Por exemplo, a maior seca do nordeste foi em 1877 até 1879. O furacão americano mais mortífero foi no Texas em 1900. Então, temos esses eventos intensos que ocorreram numa época em que o homem não lançava a quantidade que lança hoje. Aliás, a quantidade de carbono lançada pelo homem é ínfima, é irrisória, se comparada com os fluxos naturais dos oceanos, solo e vegetação. Para atmosfera, saem 200 bilhões de toneladas de carbono por ano. O homem só lança seis.
Qual a incerteza que nós temos nesses ciclos naturais? É de 40 bilhões de toneladas para cima e para baixo. Ou seja, existe uma incerteza de 80 bilhões que é oito vezes maior que o que o homem lança na atmosfera. Não tem como se controlar o carbono. E se controlar, se reduzir as emissões, não haverá impacto nenhum no clima. O clima hoje deixou de ser um problema científico, ele é um problema político-econômico.

Como assim?
Hoje a matriz energética mundial, com exceção do Brasil, que é um país privilegiado, está baseada nos combustíveis fósseis (petróleo e carvão mineral, principalmente). Quando se diz, ‘vamos reduzir as emissões’, o que se quer dizer é: ‘Vamos reduzir a geração de energia elétrica’. Os países não crescem. Tudo está baseado na energia elétrica. Isso vai afetar um desenvolvimento social e econômico dos países.

Mas, de acordo com esse raciocínio, os EUA seriam os maiores interessados em um acordo climático e, no momento, eles parecem ser o maior empecilho…
Os Estados Unidos adorariam que a China reduzisse as suas emissões. Os EUA estão “pendurados”, a China tem cerca de 700 bilhões de dólares em papéis do tesouro americano. A ida de Obama à China, no mês passado, visou à redução de emissões da potência oriental.

Mas a redução seria mundial, a China não seria a única a reduzir, os EUA também reduziriam…
Uma coisa é você já estar com a sua população em condições humanas adequadas, como é o caso da Europa, dos EUA, do Canadá. Outros países, como é o caso do Brasil, e todos os países latinos e africanos, ainda não têm. Então, precisaria desenvolver, não consumindo como se consome nos EUA, mas com condições adequadas para viver, saúde, educação… Para os países subdesenvolvidos e emergentes, excetuando-se o Brasil, reduzir significa gerar menos energia elétrica. Em muitos países só tem carvão mineral e petróleo para gerar energia. Eu não quero dizer com isso, que nós devemos sair por aí depredando o meio ambiente, tem que haver mudanças de hábito de consumos, mas as emissões de carbono não são o caminho correto.

O senhor levanta questões sobre o clima que parecem, nos jornais e nas reuniões políticas, serem consensos. Quem fabricou esse consenso?
Não existem consensos na ciência, ciência não é política, é experimentação. A ciência progride pelos contras que vão surgindo. Se você tem uma teoria e mostra que ela vale, e se surge um único experimento que diz o contrário, então você tem que repensar toda a teoria. Consensos são políticos, cientificamente eles não existem, cientificamente existem experimentações.

Então porque a impressão do consenso?
Existe uma trama por detrás disso tudo. Países como os do G7. Eles já não dispõem de recursos naturais, recursos energéticos. Por outro lado, eles não querem perder a hegemonia.

Os pesquisadores que vão de encontro a esse “consenso” sofrem algum tipo de represália?
Sim, mas isso é normal. A gente é perseguido, taxado como um indivíduo desatualizado e tem mais dificuldade de conseguir verba para pesquisa. Mas, de todas as pessoas que estão aqui no Brasil, talvez eu seja o climatologista mais sênior. Estudo clima há setenta anos e conclui meu doutorado há 35 anos, nos Estados Unidos. No período que eu fazia meu doutorado, o clima estava tão frio que o “consenso” da época era que nós estávamos entrando numa Era Glacial. O clima é muito complexo e jamais poderia ser dominado pelo CO2. Ao contrário, o CO2 é resultante do aumento da temperatura, quando a temperatura aumenta os oceanos liberam mais CO2.

Mas a vantagem dessa discussão toda em torno das mudanças climáticas é colocar o meio-ambiente em pauta.
É, mas não da maneira correta. Quando você olha para os livros didáticos das crianças, diz lá que o homem está destruindo a camada de ozônio, que a Terra está se aquecendo, que o nível do mar vai subir… Isso está errado! O que nós estamos fazendo? Educação ou lavagem cerebral? Na minha opinião, olhando todos os indicadores climáticos, nós vamos ter um resfriamento climático nos próximos vinte anos. O que vai acontecer com essa criançada quando eles perceberem que, ao invés de aquecer, está esfriando, e que esse esfriamento é muito pior para a humanidade?

Os países parecem dispostos a fazer acordos de redução em Copenhague…
É um discurso que não vai adiante. À medida em que a população aumenta, há a necessidade de mais energia elétrica, se a gente quiser incluir esse pessoal em uma sociedade que viva adequadamente. Como incluir essas pessoas sem aumentar o consumo? Não existe como. Somos ainda muito dependentes dos combustíveis fósseis. Acho que vai ter muito discurso em Copenhague, vão fazer muitas promessas, mas são só demagógicas. Não tem como cumprir essas metas. Se você olhar o Protocolo de Kyoto, a Europa não reduziu absolutamente nada, ao contrário. Conversa é conversa, na prática, não há como fazer isso.

fonte terra magazine

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

A VERDADE OCULTA POR TRAZ DO NATAL

Como tudo começou? Quem é o verdadeiro Aniversariante? O que teria o dia 25 de Dezembro de Tão importante para o Mundo? O que a mulher da nota de dinheiro, da balança da justiça, da estatua da liberdade, da abertura dos filmes de cinema tem a ver com tudo isso???? E quem na verdade é essa mulher que tem tantos nomes e é tão importante a ponto de representar tantas coisas ainda nos dias de hoje???

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

MOBILIZAÇÃO CONTRA A MENTIRA SOBRE O CLIMA


Lamentar ou agir?

Pessoal, ouçam bem, nós estamos sendo ludibriados há anos. Eles nos prenderam literalmente a um urso polar (ditado alemão – NR). O aquecimento global só acontece na imaginação dos fomentadores de pânico e nos modelos computacionais dos pesquisadores do clima; nada tem a ver com a realidade. Tudo é um tremendo engodo. Eles falsificaram os dados sobre o clima. Fato é que a temperatura global permaneceu a mesma nos últimos 10 anos e o CO2 produzido pelo homem não tem efeito prático.

A proporção de CO2 emitida na atmosfera pela humanidade e sua civilização restringe-se ao mínimo de 0,0019%! O que é isso? Nada!!! Do ponto de vista da história, uma proporção de CO2 no ar na ordem de 0,0385% é muito baixa. Houve épocas na história da Terra onde a proporção de CO2 na atmosfera foi 12 vezes maior, no período ordoviviano da era Paleozóica, na época uma era glacial. Por isso a afirmação que o CO2 aquece o clima é totalmente estúpida, e nunca foi provada.

CO2 não é um gás de efeito estufa e muito menos um gás venenoso, mas sim uma substância vital para nosso planeta. Não existe qualquer relação do CO2 sobre a temperatura. O motor principal que controla o clima é o Sol. Quando o clima se altera através das alterações da radiação de energia solar, então acontece a alteração da proporção do CO2 na atmosfera com uma defasagem temporal de 800 anos. A quantidade de CO2 existente na atmosfera é controlada pela temperatura e não o contrário.

A erupção de um vulcão lança mais CO2 no ar do que toda nossa civilização junta. 95% do CO2 tem origem natural e nós não podemos interferir. É feito um verdadeiro teatro por causa de 0,0019% da atmosfera feita pela ação do homem. Nesta quantidade o CO2 não altera nada. Além disso, uma alteração climática é totalmente normal, sempre existiu e sempre existirá.

O fim do mundo minguou, nós podemos comemorar, não existe qualquer motivo para pânico e nós não somos culpados!

Por isso contatem todos seus conhecidos e informem-nos sobre a falsificação dos dados sobre o clima no Climate Research Centre - CRU da Universidade de East Anglia, em Norwich, o qual fornece os fundamentos teóricos ao Intergovernmental Panel on Climate Change – IPCC ou Conselho sobre o clima global, possibilitando este afirmar que CO2 antropogênico causa o aquecimento global. Através do “Climagate” foi comprovado que não existe aquecimento global, os dados sobre a temperatura na Terra foram manipulados através dos cientistas do CRU para mostrar um aquecimento onde ele nunca existiu.

O fator de ilusão

Foi encontrado nos arquivos pirateados o programa “briffa_Sep98_d.pro” para “correção” dos dados. O programador (Keith Briffa?) denominou-o como uma rotina de “adjustment” e escreveu como comentário “Apply a VERY ARTIFICIAL correction for decline!!” o que significa: a diminuição da temperatura foi corrigida artificialmente. Com o código abaixo, os dados primários das medições de temperatura foram manipulados. Parece ter sido escrito na linguagem IDL:

; Apply a VERY ARTIFICAL correction for decline!!
;
yrloc=[1400,findgen(19)*5.+1904]
valadj=[0.,0.,0.,0.,0.,-0.1,-0.25,-0.3,0.,- 0.1,0.3,0.8,1.2,1.7,2.5,2.6,2.6,$
2.6,2.6,2.6]*0.75 ; fudge factor
if n_elements(yrloc) ne n_elements(valadj) then message,’Oooops!’

O programador descreve nos comentários o que acontece aqui, o “Fudge Factor” ou fator de ilusão, onde as temperaturas são acrescidas ou diminuídas segundo as décadas. Na série de números, temos no início o fator de ilusão zero ou negativo, então vêm os números positivos. Fica clara a intenção em criar um viés de aumento da temperatura no último século, mas que não encontra legitimidade nos dados medidos. Temperaturas antigas foram minoradas, as novas majoradas para que o viés de aumento se confirmasse.

Esse resultado “científico” foi divulgado para todo globo. Pânico total!!!

É possível explicar a falsificação de forma mais clara?

Por isso é que a afirmação – o homem causa uma catástrofe climática – baseia-se numa mentira! Qualquer um que ainda afirme “o CO2 tem que ser reduzido”, pois influência negativamente o clima, é um instrumento do mentiroso!. Todas as leis para redução de CO2 são supérfluas e devem ser revogadas, pois baseiam-se em falcatruas. Estas pesquisas sobre o clima nada têm a ver com ciência, mas foram corrompidas para atender interesses políticos visando sustentar a agenda da ditadura global.

Conferência sobre o clima também é um golpe

A conferência da ONU sobre o clima, em Kopenhagem deve ser boicotada. Neste encontro não se trata do salvamento do clima, mas sim em aprovar novas leis que implicaram no aumento da carga tributária sobre nossos ombros. A mentira sobre o clima é um negócio e o caminho para estabelecer um governo mundial, nada mais. As organizações mundiais, multinacionais e os governos aproveitam disso, mas não o meio-ambiente. Trata-se de controle, dinheiro e poder!

Mas de 15.000 participantes se encontrarão em Kopenhagem, delegações de 192 países são esperadas, inclusive presidentes e ministros de estado. O que isso não produz em CO2, para não falar sobre problema que não existe.

Caso todos os salvadores do clima em Kopenhagem quisessem realmente salvar o meio-ambiente, então eles teriam que terminar com todas as guerras imediatamente. Elas sim destroem de fato nosso clima e o meio-ambiente. Somente a muniçao com uranio usada nos Bálcãs no Iraque, em Gaza e no Afeganistão, contamina os lençóis freáticos e o solo, as pessoas padecem de câncer as crianças nascem com deformações congênitas

Mas esses fatos passam com indiferença a todos os ecologistas hipócritas. A seus olhos, as pessoas das regiões em guerra não são importantes. São apenas muçulmanos, eles podem apodrecer. Trata-se aqui de coisas muito mais nobres, a celebração da religião do clima, a coroação de seu papa ecológico Al Gore. Eles se acomodam com seus gordos traseiros na conferência e produzem ar quente.

Mais uma vez a Indústria do Holocausto serve como modelo para as atuais falcatruas da elite global. À medida que a verdade não pode ser refutada com argumentos racionais e científicos, resta à elite dogmatizar qualquer tema que a ajude consolidar seu poder - NR

E não acredite na mentira, onde as petrolíferas se escondem atrás dos céticos do aquecimento global e são favoráveis ao CO2. Ao contrário, elas incentivam a mentira do clima, pois elas ganham/rão muito dinheiro com o comércio de emissão “Cap&Trade” e as subvenções para biocombustível. As petrolíferas como a Royal Dutch Shell e a British Petroleum estarão em Kopenhagem. Isso já mostra em qual lado elas estão.

Segundo novas informações, os dados do CRU não foram obtidos por Hackers, mas foram revelados à opinião pública por insiders. Primeiramente os dados foram entregues à BBC, a qual nada fez. Depois de um mês de silêncio, os dados foram depositados em um servidor russo e disponibilizados ao mundo.

Faça perguntas e exija respostas

Bombardeiem a mídia, partidos, políticos, organizações com e-mails e pergunte a eles se apóiam a mentira e com isso propagam o pânico? Por que eles se prendem ainda ao aquecimento antropogênico do clima, após ser divulgada a manipulação dos dados do centro de pesquisas climáticas? Como eles podem justificar as imensas somas retiradas do orçamento da União, embora suas justificativas sejam baseadas em mentiras e pilantragem? E pergunte a eles o que farão, quando a população logo acordar e notar que foi enganada descaradamente? Então eles podem admirar de perto as lâmpadas ecológicas nos postes de luz ( risos)

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

AS 9 MENTIRAS DE AL GORE


Al Gore aparece como o principal profeta do apocalipse no debate sobre o aquecimento global, e o documentário Uma Verdade Inconveniente é o evangelho dos que crêem nele. Mas Al Gore os enganou.

Há dois anos, o Juiz Michael Burton, da Alta Corte de Justiça Britânica, caracterizou o filme de Al Gore como alarmista e exagerado no apoio à sua tese política”. O tribunal, respondendo a uma ação movida por um pai, disse que o filme é “unilateral” e não poderia ser exibido nas escolas britânicas, a menos que contivesse orientações para equilibrar a tentativa de Gore em promover a sua “doutrinação política”.

O Juiz baseou a sua decisão em nove inverdades que aparecem no filme. Mas o público em geral parece que desconhece essa história. Segue um resumo dos atos falhos de Gore, as justificativas e algumas considerações:

1. A alegação: o derretimento das geleiras na Groenlândia ou na Antártida fará com que o nível do mar suba cerca de 7 metros em um futuro próximo. A verdade: O Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) concluiu que o nível do mar pode subir até 7 metros, mas ao longo de milênios – e insiste nessa previsao O IPCC prevê um aumento de 7 a 23 centímetros até 2100. A alegação de Gore é “uma distorção muito perturbadora da ciência” segundo John Day, que discute o caso britânico no documentário Not Evil Just Wrong. O Juiz disse que a alegação de Gore “não está em linha com o consenso científico”.

2. A alegação: os ursos polares estão se afogando porque eles estão tendo que nadar mais para encontrar gelo. A verdade: o Juiz Burton observou que o único estudo que cita o afogamento de ursos polares (entre quatro deles) atribuiu a culpa pelas mortes a uma tempestade, e não a um eventual derretimento devido ao aquecimento global causado pela atividade humana. O Comitê de Meio Ambiente e Obras Públicas do Senado norte americano, além disso, considerou que a população atual de ursos é de 20.000 a 25.000, bem acima dos 5.000 a 10.000 que havia nas décadas de 1950 e 1960. Day diz em Not Evil Just Wrong que a estória dos ursos polares é “uma peça muito inteligente de manipulação”.

3. A alegação: o aquecimento global causou o furacão Katrina em 2005. A verdade: “É senso comum que não há provas suficientes para demonstrar isso”, escreveu Burton em sua sentença. Um artigo na revista New Scientist em maio de 2007 refutou o argumento do Katrina como sendo um “mito do clima”, já que é impossível estabelecer um vínculo entre um único evento climático e o aquecimento global.

4. A alegação: os aumentos de temperatura são o resultado de aumentos de dióxido de carbono. A verdade: Burton questionou os dois gráficos utilizados por Gore em Uma Verdade Inconveniente. Gore afirmou que há “um encaixe perfeito” entre a temperatura e o CO2, disse Burton, mas os seus gráficos não suportam esta conclusão. Os dados recentes também não apóiam essa tese: a temperatura média global tem diminuído há cerca de uma década, mesmo quando os níveis de CO2 continuam aumentando.

5. A alegação: A neve no Monte Kilimanjaro está derretendo por causa do aquecimento global. A verdade: O derretimento está em curso há mais de um século – muito antes dos jipões SUVs e dos aviões Jumbo – e parece ser o resultado de outras causas. O Juiz Burton observou que os cientistas concordam que a fusão não pode ser atribuída principalmente a “mudanças induzidas pela atividade humana no clima”.

6. A alegação: Lago Chade está desaparecendo por causa do aquecimento global. A verdade: Lago Chade está sim perdendo água, e os humanos estão sim contribuindo para essas perdas. Mas os humanos que vivem nas imediações do lago é que são os culpados – e não toda a humanidade que utiliza combustíveis fósseis. Burton cita fatores como o crescimento da população local, a super exploração e a variabilidade climática regional.

7. A alegação: As pessoas estão sendo forçadas a evacuar atóis do Pacífico, ilhas de coral que circundam as lagoas, por causa da invasão das águas do oceano. A verdade: Por sua própria natureza, os atóis são mais suscetíveis à subida do nível do mar. Mas Burton disse incisivamente em sua sentença que “não há evidência de qualquer evacuação como essa, posto que ainda não aconteceu nenhuma”.

8. A alegação: os recifes de coral estão sofrendo um clareamento e colocando os peixes em perigo. A verdade: Em sua decisão, Burton enfatizou a conclusão do IPCC de que o clareamento poderia matar recifes de coral – se estes não se adaptarem. Um relatório divulgado este ano mostra que os recifes estão prosperando em águas tão quente como algumas pessoas dizem que as águas do oceano serão daqui a 100 anos. Burton também afirmou que é difícil separar o estresse dos recifes de coral do excesso de pesca ou de quaisquer mudanças no clima.

9. A alegação: o aquecimento global poderia interromper “as correntes transportadoras de calor nos oceanos”, provocando uma nova idade do gelo na Europa Ocidental. A verdade: Mais uma vez, os aliados de Gore no IPCC estão em desacordo com este argumento. Burton cita a conclusão do IPCC, de que “é muito improvável que as correntes transportadoras nos oceanos parem de funcionar no futuro”. O fato é que a compreensão científica sobre como funcionam as correntes permanece instável, evidenciando a falha na afirmação de Gore.

O post acima é uma tradução livre do blog Not Evil Just Wrong. Para ver o original clique aqui

fonte: http://agfdag.wordpress.com/

“Not Evil Just Wrong” - documentário sobre a histeria do aquecimento global


O custo real da histeria sobre o aquecimento global

Alarmistas do aquecimento global querem que os norteamericanos em particular e o mundo em geral acreditem que nós, os humanos, estamos matando o planeta. Mas “Not Evil Just Wrong” (não perverso, apenas errado), o novo documentário de Phelim McAleer e Ann McElhinney, prova que as únicas ameaças de Al Gore e seus aliados do extremismo ambientalista para o mundo são a ciência falha e a retórica de que “o céu cairá sobre as nossas cabeças”.

O filme conduz o extremismo ao campo das realidades. “Desligue as luzes. Desligue a calefação quando chegar o frio. Desligue o ar-condicionado quando chegar o calor”, diz um homem na rua. “E então pense sobre isso”.

“Not Evil Just Wrong” avisa os norteamericanos de que os seus empregos, seus estilos de vida ‘modestos’ e os sonhos para seus filhos estão em jogo. Indústrias que dependem de combustíveis fósseis continuarão a ser prejudicadas se o governo deles impuser regulamentos que acabarão com empregos em uma economia em recessão. Pequenas cidades do interior, como Vevay, no Estado de Indiana, passarão a ser bastiões do desemprego e da pobreza. Chefes de família como Tim McElhany em Vevay perderão seus empregos – e terão de começar a pedir dinheiro emprestado outra vez para comprar pão para as suas famílias.

Os danos que serão causados não se justificam pela ciência. “Not Evil Just Wrong” expõe as decepções que os especialistas, os políticos, os educadores e os meios de comunicação têm impingido como alimentação forçada ao público durante anos. A poluição produzida pela atividade humana não está derretendo as calotas polares. O nível do mar não irá subir de 6 a 7 metros em um flash. E só estão morrendo por causa do homem os ursos polares que tentam comer homens.

McAleer e McElhinney desmascaram o que, por um tempo, foi a arma mais poderosa de desinformação do movimento ambientalista, o infame gráfico que atribuía uma impressionante elevação supostamente única de aquecimento no Século XX ao homem. Eles também quebram o mito de que os anos mais quentes nos Estados Unidos foram de 1998 a 2006. O ano mais quente foi 1934 e a década mais quente foi a década de 1930 – quando havia a metade das pessoas e não haviam SUVs ou jatos Jumbo.

Mas ambientalistas como o ator Ed Begley Jr. e Leo Murray, de “Plane Stupid”, que aparecem no filme, não vão dizer isso. Em vez disso, Begley derrama lágrimas falsas para ex-presidiários para os quais são oferecidos empregos “verdes”, e Murray desacredita o transporte aéreo como a pior indulgência do mundo moderno. Suas reivindicações histéricas têm enganado muitas pessoas a acreditar que o dióxido de carbono, um elemento que é essencial à vida, é um veneno.

Organizações como o Greenpeace, cujos excessos são severamente condenados em “Not Evil Just Wrong” por um de seus fundadores, Patrick Moore, persistentemente utilizam o mesmo tipo de propaganda com a qual os líderes mundiais solicitaram a proibição do DDT. Eles acreditaram em cenários apocalípticos como o da ambientalista Rachel Carson sobre o mata-mosquitos, e o resultado é que milhões de crianças no Terceiro Mundo podem ter sido infectadas pela malária e morrido.

As notas documentais mostram que a Organização Mundial de Saúde levantou a proibição sobre o DDT em 2006, mas Al Gore e seus aliados não aceitam o veredito mais do que eles vão aceitar a “ciência” e alguns descontos em suas teorias sobre o aquecimento global. Eles estão determinados a por a culpa por tudo nos seres humanos.

O post acima é uma tradução livre da sinopse do documentário. Para ver a original,clique aquiO lançamento mundial será no domingo, dia 18/10

fonte: http://agfdag.wordpress.com/

Petição de 30.000 cientistas contra o Aquecimento Global

Mais de 30.000 cientistas norteamericanos, incluindo mais de 9.000 Ph.D.s, já assinaram a seguintepetiçãosobre o Aquecimento Global:
“Exortamos o governo dos Estados Unidos a rejeitar o aquecimento global de acordo com o que foi descrito em Kyoto no Japão em Dezembro de 1997, e quaisquer outras propostas semelhantes. A proposta de limitações das emissões de gases com efeito de estufa será prejudicial para o ambiente, impedirá o avanço da ciência e da tecnologia e causará danos à saúde e ao bem-estar da humanidade.

Não há provas científicas convincentes de que liberação de dióxido de carbono, metano e outros gases de efeito estufa pelos humanos são ou serão, no futuro próximo, causadores de um catastrófico aquecimento da atmosfera da Terra e da perturbação do clima da Terra. Além disso, há provas científicas de que os aumentos substanciais nas emissões de dióxido de carbono atmosférico produzem efeitos benéficos sobre os ambientes naturais vegetais e animais da Terra”.

O Professor Frederick Seitz assina acartaque foi distribuída com a Petição. O físico Frederick Seitz foi Presidente da Academia Nacional das Ciências dos EUA e da Universidade Rockefeller. Ele recebeu a Medalha Nacional de Ciência, o Prêmio Compton, a Medalha Franklin e vários outros prêmios, incluindo o título de Doutor Honoris Causa de 32 universidades em todo o mundo. Em Agosto de 2007, o Dr. Seitz analisou e aprovou oartigo de Arthur B. Robinson, Noah E. Robinson e Willie Soon que for divulgado junto com a Petição. Vigoroso defensor do Projeto Petição desde o seu início em 1998, o Professor Seitz faleceu em 2 de março de 2008. Para mais informações biográficas sobre o Dr. Seitz,clique aqui
O objetivo do Projeto Petição é demonstrar que a alegação de “ciência resolvida” e de um esmagador “consenso” a favor da hipótese de que os humanos causam o aquecimento global e consequentes danos climatológicos estão errados. Não existe nenhum consenso e a ciência está longe de ser resolvida. Como indicado pelo texto e pelos signatários da Petição, um número muito grande de cientistas – bem maior que o de signatários dos relatórios do IPCC – rejeita essa hipótese.

Para mais informações sobre o Projeto, acessehttp://www.petitionproject.org/

fontehttp://agfdag.wordpress.com

ENTREVSITA NA FOX NEWS > http://www.youtube.com/watch?v=FfHW7KR33IQ

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

A MENTIRA DO AQUECIMENTO GLOBAL



PROFESSORES DA USP FALAM SOBRE A MENTIRA DO AQUECIMENTO GLOBAL

Curioso: as representações relativas ao aquecimento global lembram a história da humanidade segundo a Bíblia

Por Ricardo Augusto Felício, Daniela de Souza Onça e Marco Aurélio Lessa Villela

SEGUNDO qualquer meio de comunicação de massa consultado -jornais, revistas, rádio, televisão e até mesmo filmes-, como consequência de nossas atividades econômicas, estaríamos desencadeando a maior mudança climática de que se tem conhecimento, que traria consequências tais que é comum que as imagens empregadas remetam ao apocalipse bíblico. Contudo, ainda estaria em tempo de tomar alguma atitude, usando tecnologias “limpas”, reduzindo assim o todavia inevitável aquecimento global.

Curiosa coincidência, as representações relacionadas ao aquecimento global lembram a história da humanidade segundo a Bíblia: no princípio, o clima era estável, regular ao longo das eras, até que a humanidade cometeu o pecado original da industrialização e nos lançou ao nosso estado atual, rumando para um apocalipse, porém, podendo ainda nos redimir, expiando um pouco do nosso tempo de punição até chegarmos ao paraíso que seria um mundo com as tecnologias “verdes”, “sustentáveis”.

Os países “desenvolvidos” iniciariam o processo, mas o Terceiro Mundo também teria que cumprir a sua parte, já que países como o Brasil se incluem entre os maiores “emissores”. Apesar disso, não haveria problemas para a economia desses países, já que haveria fluxos financeiros internacionais para compensar o prejuízo -por meio dos créditos de carbono- que a redução de emissões acarretaria, assim como as “tecnologias de baixo carbono” seriam viáveis e compartilhadas.

A atual crise econômica começa a pôr abaixo tais falácias. Não é a primeira vez que se cria um estado de “terror” global em relação ao clima. Durante a década de 1930, sobreveio um período de calor e seca além do habitual. Diante dessa variabilidade natural do clima -assim a compreendemos-, alardeou-se que estaria acontecendo um aquecimento global, causado pela elevação do nível de CO2 atmosférico, oriunda de atividades humanas.

Apesar do aumento constatado na presença de CO2 na atmosfera, sua participação continua insignificante -a mudança não tornou nem necessário atualizar livros didáticos, já que foi em casas decimais um tanto além das que são usadas-, podendo ser considerada irrelevante para compreender mudanças na temperatura em diferentes partes do globo.

Curioso foi que, anos depois, entre as décadas de 1950 e 1960, quando a tendência se inverteu, trazendo temperaturas mais amenas, o mundo tremeu ante o anúncio, propagado pelos meios de comunicação de massa, de que a Terra estaria entrando em uma nova era glacial. Não se fazia referência à “ameaça” anterior que havia sido o aquecimento. Também causa estranhamento tal resfriamento caso se tome a sério a hipótese “aquecimentista”. Esse foi justamente o período “dourado” do capitalismo, em que a indústria se espalhou pelo mundo. Como poderia tal quadro ter resultado em resfriamento? Não é o caso de efeito retardado -e de onde teria vindo o aquecimento no período anterior? Após essas “ameaças” à humanidade, outras se seguiram: desertificação, buraco na camada de ozônio e, novamente, aquecimento global. É onde nos encontramos hoje.

A argumentação baseada em modelos nada prova, já que modelos são apenas representações da realidade, tão boas quanto as fazemos -e, certamente, não conhecemos todos os elementos climáticos e suas interações. Modelos devem continuar sendo estudados, desenvolvidos e usados, já que são muito úteis, mas precisam ser questionados, e não tomados como fontes automáticas de verdades.

Acima dos discursos, é preciso considerar o que tem sido feito na prática em nome da precaução ante a ameaça do “aquecimento global” -praticamente uma entidade sobrenatural, que pouco se compreende, mas se teme-, assim como o que se planeja fazer. Quem ganha com isso? Quem ganhou nos momentos anteriores? Ressalva importante: não somos favoráveis ao “laisser-faire” em relação à degradação ambiental generalizada que se tem observado ao longo dos últimos séculos, potencializada nas últimas décadas.

É justamente por levarmos muito a sério as crescentes agressões e ameaças a todas as formas de vida em nosso planeta que recusamos o uso de um espantalho para amedrontar as pessoas e assim “conscientizá-las”. Não é por meio do medo e da mentira que conseguiremos um mundo melhor. Os fins não estão desligados dos meios, e tais meios, reconhecidamente, levam ao mundo que temos hoje.

RICARDO AUGUSTO FELÍCIO, mestre em meteorologia pelo Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) e doutor em geografia pela USP, é professor de climatologia no Departamento de Geografia da FFLCH-USP.

DANIELA DE SOUZA ONÇA é mestre e doutoranda em climatologia pela USP.

MARCO AURÉLIO LESSA VILLELA estuda geografia na USP.

Fonte: Folha de São Paulo (08/04/2009)

domingo, 29 de novembro de 2009

O FIM DO DINHEIRO

A globo já está divulgando as benécias do dinhero virtual. São tantas vantagens apresentadas que penso não haver dificuldade para que o povo aceite sua implantação.

Glen Beck: Climategate - O Aquecimento Global é uma fraude!

Emails rackeados foram publicados e neles a revelação do que é considerada a Maior Fraude de Todos os Tempos

nao se impressione se logo pagarmos imposto por co2

domingo, 22 de novembro de 2009

NAO COMPREM PRODUTOS TRANSGENICOS


monsanto industria transgenicas fuja disso
importante alerta sobre o perigo da manipulação genética inescrupulosa dos alimentos e do registro de patentes de seres vivos.

Infelizmente, o debate sobre questões tão delicadas passa quase despercebido na nossa sociedade. Muitos países proíbem hoje, por exemplo, a venda de soja transgênica. Mas aqui no Brasil ela é largamente utilizada em forma de óleo. Quantos de nós já paramos diante da prateleira de um supermercado para verificar se o alimento continha o “T” de transgênico como o da imagem seguinte?
seja esperto nao compre produtos transgenicos valorize nossos agricultores , o problema da fome nao esta na falta de alimentos e sim na má distribuição entre ricos e pobres

O fato de muitos países da Europa não quererem os alimentos transgênicos em seus pratos tem um justo motivo: essas combinações genéticas ainda não foram suficientemente testadas para que possamos afirmar que são 100% seguras para nossa saúde.

Globalização Predadora

A indústria alimentícia está cada vez mais concentrada em pequenos grupos. Aqui no Brasil, por exemplo, tivemos ultimamente a fusão das empresas Sadia e Perdigão, compondo assim uma mega empresa de aves. Ao contrário do que é anunciado pela mídia corporativa, essas grandes empresas formam verdadeiros cartéis que sufocam qualquer pequeno produtor que esteja no caminho delas. Elas representam um grande lucro apenas para os seus proprietários.

Patentear a vida?

Outro problema apontado no documentário é o do registro de patentes de seres vivos. Se o número de empresas que detêm essas patentes é cada vez menor, e se a reprodução da vida não pode ser controlada, em pouco tempo um grupo de meia dúzia de empresas vai ser legalmente dono dos seres vivos. Esse problema já começou a acontecer com, por exemplo, a soja transgênica da Monsanto que, acidentalmente espalhada em outras plantações, tornam a Monsanto praticamente “dona” dessas pequenas propriedades.

CLICK EM PLAY E VEJA O VIDEO ABAIXO
video

A Europa Já seu Presidente as ultimas peças vão se encaixando.

Peça a peça, Ação apos ação. O que antes não fazia sentido, agora toma forma. Ao povo foi perguntado se queria um goveno na Europa, a resposta foi Não. O blebiscito foi esquecido. Dessa vez não foi posivel a o rolo compressor da midia convencer a população. Más a partida não está perdida. O dono da mesa a vira de ponta cabeça e parte-se para outro método. O Tratado. o povo fica em stand by, seus representantes são os que serão consultados dessa vez, e agora o objetivo é alcançado. E o povo que antes poderia escolher seu presidente, caso aprovasse o plebiscito, agora por punição não tem esse direito. Os próprios presisdentes dos paizes da Europa, escolhem seu presidente.

sábado, 21 de novembro de 2009

New York Times: Fim dos tempos não acontecerá em 2012, diz Nasa

OBS: Sobre os eventos solares, muitos cientistas sérios dizem exatamente o contrário da matéria, que vai ocorrer sim, grandes tormentas solares, entrem 2012 e 2013


O filme 2012, que estreia no próximo dia 13 de novembro, retrata o fim do mundo apontado pelo calendário maia Foto: Divulgação O filme "2012" retrata o fim do mundo apontado pelo calendário maia

Na semana passada, a Agência Espacial Americana (Nasa) anunciou que o mundo não ia acabar - pelo menos não em curto prazo. No ano passado, o Centro Europeu de Pesquisa Nuclear (Cern), declarou a mesma coisa, o que se pode imaginar, seja uma boa notícia para aqueles dentre nós que costumam se assustar com qualquer coisa. Quando é que duas instituições científicas desse grau de competência já haviam garantido à humanidade que tudo ficaria bem?

Por outro lado, a notícia é um tanto deprimente para aqueles que estavam planejando deixar de lado os pagamentos da prestação da casa própria para gastar tudo em uma última farra. Os pronunciamentos do Cern tinham por objetivo atenuar a preocupação quanto à possibilidade de que seu novo acelerador de partículas, o Large Hadron Collider (LHC), viesse a criar um buraco negro capaz de devorar o planeta.

Já os anúncios da Nasa, feitos em forma de uma série de posts em seu site e de um vídeo postado no YouTube, eram resposta à preocupação quanto à possibilidade de que o mundo acabe em 21 de dezembro de 2012, quando um ciclo de 5.125 anos conhecido como “Contagem Longa”, no calendário maia, supostamente deve chegar ao fim.

Os rumores sobre o fim do mundo atingiram o ponto de fervura esta semana com o lançamento de ‘2012′, novo filme de Roland Emmerich, que no passado já havia infligido previsões catastróficas ao planeta, em forma de ataque alienígena e era glacial, nos longas ‘Independence Day’ e ‘O Dia Depois de Amanhã’.

Em seu novo trabalho, um alinhamento entre o Sol e o centro da galáxia, em 21 de dezembro de 2012, faz com que o Sol enlouqueça e cause ferozes tempestades em sua superfície, que lançam ao espaço partículas subatômicas difíceis de detectar conhecidas como neutrinos. De alguma forma, os neutrinos se transmutam em outras partículas, o que resulta em aquecimento do núcleo planetário da Terra.

A crosta terrestre perde sua estrutura e começa a enfraquecer e deslizar. Los Angeles desliza para dentro do oceano; o vulcão Yellowstone entra em erupção, o que recobre a América do Norte de cinzas negras. Maremotos gigantescos varrem o Himalaia, onde os governos do planeta haviam construído secretamente uma frota de navios que permitirão a 400 mil pessoas seletas sobreviver à calamidade.

Mas essa é apenas uma das versões de apocalipse em circulação. Em outras variações, um planeta chamado Nbiru colide com a Terra, ou o campo magnético de nosso planeta se inverte. Existem centenas de livros dedicados a 2012, bem como milhões de sites, a depender de que combinação entre ‘2012′ e ‘juízo final’ você digite no Google.

E tudo isso é pura bobagem, dizem os astrônomos
“A maior parte do que é alegado quanto a 2012 depende de uma imensa credulidade, de sandices pseudocientíficas, de uma completa ignorância quanto à astronomia e de um nível de paranoia digno de um filme sobre zumbis”, escreveu Ed Krupp, diretor do Observatório Griffith, em Los Angeles e especialista em astronomia do passado, em artigo para a edição de novembro da revista Sky & Telescope.

Em termos pessoais, as histórias sobre o fim do mundo me apaixonam desde que comecei a consumir ficção científica, em meio a uma infância de desajuste. Apavorar o público vem sendo a principal ferramenta desse segmento desde que Orson Welles transformou “A Guerra dos Mundos” em um programa de rádio que narrava uma falsa invasão marciana a Nova Jersey, em 1938.

Mas a tendência passou dos limites, sugeriu David Morrison, astrônomo do Centro de Pesquisa Ames, da Nasa, em Moffett Field, Califórnia, o responsável pelo vídeo que a organização veiculou no YouTube e principal representante da organização quanto às profecias apocalípticas dos maias. ¿Fico zangado com a maneira pela qual as pessoas estão sendo manipuladas e submetidas a medos, com o objetivo único de propiciar lucros a terceiros¿, disse Morrison. “Não existe direito ético a assustar crianças a fim de gerar lucro”.

Morrison diz que tem recebido em média 20 cartas e mensagens de e-mail diárias, algumas de lugares distantes como a Índia, enviadas por interlocutores apavorados. Em uma mensagem de e-mail, ele me enviou uma amostra que incluía um e-mail de uma mulher que imaginava se o melhor não seria se matar, bem como à sua filha e seu bebê ainda não nascido. Outra pessoa perguntava se não seria melhor sacrificar já o seu cachorro, para evitar que o animal viesse a sofrer em 2012.

Tudo isso me lembrou das cartas que recebi no ano passado sobre o suposto buraco negro do Cern, outro problema que existia mais como ficção científica do que como fato científico. No entanto, aparentemente não existe nada tão capaz de tornar a morte presente quanto os abstratos reinos da física e da astronomia. Em situações como essas, quando a Terra ou o universo estão tentando descartar a pessoa e seus entes queridos deste plano mortal, questões cósmicas claramente se tornam pessoais.

Morrison diz que não atribui a culpa por isso ao filme, e sim aos muitos outros vulgarizadores da predição maia, bem como à aparente incapacidade de muita gente para distinguir realidade de ficção “tendência bastante perceptível em diversas outras áreas de nossa vida nacional. Ele ressalva, quanto a isso que ¿meu doutorado é em astronomia, não psicologia”.

Em uma troca de e-mails, Krupp afirmou que “estamos sempre incertos quanto ao futuro e sempre consumimos representações dele. Sempre nos deixamos atrair pelo romance do passado distante e pela escala exótica do cosmos. Quando as duas coisas se combinam, ficamos hipnotizados”.

Um porta-voz da Nasa, Dwayne Brown, afirmou que a agência não comenta sobre filmes, e que isso é tarefa para críticos de cinema. Mas quando o assunto é ciência, disse Brown, “consideramos que seria prudente oferecer uma base de recursos”.

Se você deseja se preocupar, afirmam os cientistas, deveria pensar sobre a mudança no clima mundial, asteróides em trajetórias imprevisíveis ou guerra nuclear. Mas caso seu interesse seja a especulação sobre passadas profecias, eis alguns fatos que Morrison e outros estudiosos acreditam você deva conhecer.

Para começar, concordam os astrônomos, não existe nada de especial em um alinhamento celeste entre o Sol e o centro da galáxia. Isso acontece a cada mês de dezembro, e as consequências físicas não vão além do consumo excessivo de perus de Natal. E, de qualquer forma, o Sol e o centro galáctico não coincidirão exatamente nem mesmo em 2012.

Se existisse outro planeta em rota de colisão com o nosso, todo mundo já o teria avistado, a essa altura. E quanto às ferozes tempestades solares, o próximo ponto máximo de atividade solar não acontecerá antes de 2013, e mesmo assim não será muito intenso, de acordo com os astrônomos.

O apocalipse geológico é uma aposta mais plausível. Já aconteceram grandes terremotos na Califórnia, e é provável que voltem a acontecer. Esses abalos poderiam destruir Los Angeles, tal como o filme mostra, e Yellowstone poderia entrar em erupção mais uma vez, e com força cataclísmica, mais cedo ou mais tarde. Os seres humanos e aquilo que constroem são de fato ocupantes temporários e frágeis do planeta. Mas, no caso em questão, “mais cedo ou mais tarde” quer dizer um prazo de centenas de anos, e haveria alertas consideráveis antes do evento.

Os maias, cuja astronomia e capacidade de medição do tempo eram avançadas o suficiente para permitir que previssem a posição do planeta Vênus 500 anos no futuro, mereciam tratamento melhor.

O tempo maia era cíclico, e especialistas como Krupp e Anthony Aveni, astrônomo e antropólogo da Universidade Colgate, dizem não haver provas de que os maias imaginassem que algo de especial aconteceria quando o hodômetro zerasse de novo em 2012, depois da Contagem Longa.

Existem referências, nas inscrições maias, a datas tanto anteriores quanto posteriores à atual Contagem Longa, eles afirmam, da mesma maneira que o seu próximo aniversário e o dia 15 de abril ficam depois do dia de Ano-Novo, no calendário do ano que vem. Por isso, é melhor manter em dia o pagamento das prestações da casa própria.

Tradução: Paulo Migliacci ME

http://noticias.terra.com.br/ciencia/noticias/0,,OI4108788-EI238,00-Fim+dos+tempos+nao+acontecera+em+garante+Nasa.html

Criança esperança a semente da unicidade global


A influência Baha’i no projeto criança esperança poder ser vista em toda a organização do evento. O apresentador Renato Aragão, um instrumento usado em nome do bem comum da nova ordem mundial, é embaixador da UNICEF. A UNICEF por sua vez é controlada pelo ECOSOC (conselho econômico e social da ONU) que é administrado pela fé Baha’i. Os responsáveis pelo programa criança esperança já foram premiados com o prêmio de cidadania mundial que é organizado pela fé e que também garante um bom prêmio em espécie.

O projeto criança esperança pode ser visto como um complemento das metas do milênio (ou o bem comum da humanidade) que jamais serão atingidas em sua totalidade através desse tipo de programa pelo seguinte motivo: Com uma população brasileira acima de 180 milhões de habitantes, o criança esperança desse ano escolheu 84 projetos que vão beneficiar 70 mil crianças. Usando dados antigos do IBGE (180 milhões de habitantes) que projetam uma população infantil e de jovens entre 18 a 20% do total de brasileiros chegaríamos a uma taxa aproximada de 0,2% ou menos de beneficiados por esse programa, ou seja, praticamente nada.

A partilha do prêmio é extremamente duvidosa, além disso, muitos desses projetos “agraciados” são escolas de circo. Basta sair nas ruas para ver o resultado. Crianças e jovens nos cruzamentos das ruas fazendo malabarismo ou se equilibrando em um monociclo para ganharem algum dinheiro.

O objetivo de tal programa patrocinado pela fé não poderia ser outro! Plantar a semente do espírito de unicidade global nos corações e mentes de todos aquele que não conhecem o verdadeiro DEUS. Somente dessa forma Baha’u’llah poderá ser adorado por todos.

Para criar a mudança de comportamento esperada pela fé, está sendo aplicado os sete vales (livro de cabeceira de todos os governantes). A inspiração da insistência desse programa repetitivo encontra-se descrita no primeiro vale de Baha’u’llah. Durante o vale da busca o peregrino, nesse caso o responsável pelo evento, é convocado a jamais desistir do seu objetivo final (a unicidade global e o encontro com o seu “Amigo”):

“VALE DA BUSCA - O corcel desse Vale é a paciência; sem a paciência o peregrino dessa jornada não chegará a parte alguma e não atingirá nenhum alvo. Jamais deveria ele desanimar; ainda que se esforce por cem milhares de anos e, contudo, não logre contemplar a beleza do Amigo, nem assim deveria vacilar.”

Atrás dessas palavras românticas e doces esconde o verdadeiro amargo da escravidão mundial! Quando a pena de Baha’u’llah diz: “não logre contemplar a beleza do Amigo” ele está se referindo ao condicionamento mental para a futura adoração de sua própria "beleza espiritual" e querendo parecer DEUS:

O qual se opõe, e se levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus. (II Tessalonicenses 2 : 4)
O que Baha’u’lah está fazendo aqui é o oposto da parábola do grão de mostarda descrita em Mateus 13 (31-32). Quando a semente da unicidade estiver plantada em todos os corações, a humanidade está pronta para adorar a besta.
A mudança de comportamento é lenta, gradativa e abrange toda a sociedade sejam eles católicos, evangélicos e místicos. Onde os meios de comunicações globais são responsáveis pela criação da unicidade global.

Em fim...a ordem mundial de Baha’u’llah jamais será estabelecida a não ser que, primeiro, se estabeleça firmemente sua unidade.

referencias

http://www.bahai.org.br/brasilia/Sete_Vales.htm
http://criancaesperanca.globo.com/CEsperanca/0,6993,6114,00.html
http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/contagem2007/default.shtm
http://www.gazetadigital.com.br/materias.php?codigo=89631&codcaderno=17&GED=5062&GEDDATA=2005-08-09
http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EDG66225-6009,00-POPULACAO+BRASILEIRA+ULTRAPASSA+OS+MILHOES+DIZ+ESTUDO+DO+IBGE.html
http://www.unicef.org/brazil/pt/overview_9511.htm
http://info.bahai.org/portuguese/bahais-united-nations.html
http://www.bahai.org.br/premio/PREMIO2003.ASP#PROJETO

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Médicos e a população Francesa não tomam e desconfiam da nova vacina


Parabéns pra redetv nesse caso!!! Nos outros jornais só passa falando que temos que tomar e tal!!!
mais não fala os efeitos colaterais dessa vacina ridicula e que muitas pessoas + esclarecidas pelo mundo não querem tomar!!!
Não tomo nem morrendo e aconselho a nao vacinarem seus filhos!!!
o problema é que no brasil qualquer coisa de graça é bem vinda pra quem nao sabe disso inclusive o povo desinformado ,os que nao querem acreditar e os mais carente!

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Tratado de Copenhague: mais um passo rumo à NOM?


Lord Christopher Monckton, ex-conselheiro de Margaret Thatcher fez uma palestra na Universidade Bethel, em St. Paul, Minnesota, no início deste mês que causou enorme alvoroço. Pela primeira vez, o público ouviu falar sobre as 181 páginas, datadas de 15 de setembro, que compõem a Convenção sobre o Framework das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, um rascunho do que pode ser assinado em dezembro.

O "esquema para o novo arranjo institucional no âmbito da Convenção", que começa na página 18 contém a provisão de um "governo". O objetivo é dar a um organismo ainda sem nome da ONU o poder de intervir diretamente nos assuntos financeiros, económicos, fiscais e ambientais de todas as nações que assinarem o tratado de Copenhague.

Neste trecho de 4 minutos de seu discurso, ele emite um aviso extremo para todos os americanos a respeito do Tratado das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas que está programado para ser assinado em Copenhague em dezembro de 2009.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

A queda da republica - fall of the republic - novo filme de alex jones


O filme mostra como os globalistas estão derrubando a república americana, usando Obama, a sua mais nova e mais habilidosa marionete para destruir os últimos vestígios da liberdade, constituição e da economia nos EUA.
Mas este filme também mostra como os americanos podem mudar o rumo, e restaurar tudo que era bom e correto em sua nação.
Este filme expôe a agenda que Obama foi colocado para cumprir, o governo mundial aliado com um banco mundial executado por globalista eugenicistas obcecados em destruir a América do status de primeiro mundo e substituí-lo por uma concha vazia de tirania.
O controle da mente, a programção televisiva, e toda a histeria criada pela mídia, revelando a crua verdade, que Obama é nada mais que uma criação de marketing corporativo, para enganar as massa em aceitar sua retórica, ignorando a contradição de suas ações.
download do filme legendado

1 parte megaupload
2 parte megaupload
3 parte megaupload

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Morgellons disease, nova ameaça dos transgênicos?


A Doença de Morgellons…

Não se engane, essa é uma doença feita 100% pelo homem, com recursos nanotecnológicos, quimicos, científicos, físicos, e, já comprovadamente, aspergida pelos Chemtrails (pesquise isso!) …e tudo parte de um plano… ah sim, a grande massa não saber também faz parte do jogo…
informe-se!

“Morgellons Disease” (Doença de Morgellons) é uma doença que provoca rupturas na pele pela erupção de fibras multicoloridas

“Morgellons Disease” (Doença de Morgellons) é uma doença que provoca rupturas na pele pela erupção de fibras multicoloridas

absolutamente desconhecidas (aparentemente constituídas de celulose contendo minerais como alumina e calcita, mas de DNA desconhecido) com desfiguração e infecções secundárias, especialmente em crianças e idosos, designada “Morgellons disease”, se espalhou por todos os 50 estados dos EUA nos últimos 10 anos, concomitantemente à expansão dos transgênicos. Já há casos diagnosticados em países da Europa, América Latina e África, no Japão, Filipinas, Indonésia e Austrália.
O problema se agravou a ponto de ser instituída uma pesquisa oficial do “Center for Disease Control” (CDC - USA) para determinar as causas dessa síndrome. Há suspeitas científicas de que é causada por Agrobacterium tumefasciens, o organismo mais


São fibras um pouco elásticas e peganhentas -Algumas parecem-se com teias de aranha, mas não o são.

alterado e trabalhado pela engenharia genética, que “ensinou” ao homem essa pseudotecnologia e fornece as Ti-Plasmids (Ti = Tumor Inducing, que produzem tumores nas raízes), estruturas de transferência de material genético que são usadas para carregar e inserir os transgenes.


Como os Agrobacteria são muito promíscuas na aquisição de ácidos nucleicos e estão presentes em todos os solos do mundo, é provável que tenham incorporado genes de virulência para humanos, por exemplo, dos “promotores

virais” usados na montagem de transgenes e seus mutantes, que continuamente se desprendem dos milhões de toneladas de resíduos transgênicos que se decompõem pelos campos cultivados, espalhando-se pelo ambiente. Isso, sendo verdade, preocupa pesquisadores devido aos programas de vacinas anti-gripais (H1N1, Influenza, etc) pelo poder de aumentar o aparecimento do Morgellons.


Se essas suspeitas forem confirmadas, fica em aberto a possibilidade de que a “Morgellons disease” seja apenas a “ponta do iceberg” de inúmeras doenças novas, mas sem sintomas tão visíveis, que podem estar sendo geradas pela contaminação transgênica do ambiente e alimentos, pois os trangenes perduram nas micelas de argila do solo, na água e no trato digestivo de animais - onde podem ser absorvidos por inúmeros micróbios benéficos ou inóquos à saúde até o momento. Outra possibiliade seria devido à fumegação dos Chemtrails, que talvez estivessem despejando essas químicas e biologias estranhas sobre nossas cabeças, água e terrenos de plantios…

http://www.youtube.com/watch?v=VrmrvpIwR3E

http://www.youtube.com/watch?v=Ba-chPZA7UI



Mais fontes:

http://www.jusbrasil.com.br/politica/2289303/morgellons-disease-nova-ameaca-dos-transgenicos

http://www.morgellons-disease-research.com/

http://www.morgellons.org/suny.htm

http://inspetra.wordpress.com/2009/09/11/a-doenca-de-morgellons/

http://marcosarosio.blogspot.com/2009/06/doenca-de-morgellons.html

http://raivaescondida.wordpress.com/2008/12/28/rebus-scie-chimiche-legendado/

http://sol.sapo.pt/blogs/humana/archive/2008/03/07/ELES-EXISTEM-_2100_.aspx

http://en.wikipedia.org/wiki/.Morgellons

Daniel Estulin: Encontro do G20 Definirá Despejo do Dólar


Steve Watson
Infowars

O pesquisador e escritor Daniel Estulin, mais conhecido por sua exposição do ultra-secreto Grupo Bilderberg, disse que fontes internas informaram a ele que o foco central da reunião do G20 neste fim de semana será a discussão sobre o despejo do dólar e a implementação um sistema monetário mundial centralizado.

Um comunicado à imprensa detalhando as declarações de Estulin informou que Ministros das Finanças e Governadores dos Bancos Centrais dos países do G20, reunidos em St. Andrews, Escócia, vão debater ações para despejar o dólar americano, quebrando o atual sistema financeiro mundial .

A instabilidade e o caos resultante de da ação para quebra da economia global, agiria como um pretexto para lançar uma consolidação da nova ordem econômica mundial.

“Estulin diz que o sucesso ou o fracasso deste plano cruel depende da capacidade dos EUA e da Grã-Bretanha de convencer os russos, os chineses e outros governos nacionais de ir junto com seu esquema.”, o release informa.

Estulin informou primeiramente sobre a agenda na conferência deste ano dos Bilderbergs realizada na Grécia, em Maio. Segundo o autor, o grupo de elite denominou o movimento como “exigência da destruição“.

A reunião do grupo Bilderberg é uma confabulação anual de cerca de 150 do mais influentes poderosos do mundo, no governo, indústria, bancos, mídia, academia e do complexo militar-industrial. O grupo secreto opera sob as “regras de Chatham House”, significando que nenhum detalhe do que é discutido pode jamais ser vazado para a mídia, apesar de os editores dos maiores jornais do mundo, como o Washington Post, o New York Times e Financial Times, estarem presente na reunião.

Informantes de dentro do grupo contaram à Estulin que os Bilderbergs estavam divididos entre “uma depressão prolongada e agonizante, que condenaria o mundo a décadas de estagnação, declínio e pobreza … ou uma intensa mas menos intensa depressão, que abriria o caminho para uma nova ordem mundial econômica sustentável, com menos soberania, mas com mais eficiência”. (Veja post)

De acordo com o pesquisador, algumas pessoas do grupo temem que as conseqüências do caos causado por uma quebra grave poderia acabar resultando em uma perda de controle sobre o mundo.

Estulin acredita reunião deste fim de semana do G20, que será realizada no local da conferência de Bilderberg de 1998, será utilizado para finalizar esta deliberação.

A motivação para o colapso do dólar americano iniciaria uma reação em cadeia para distanciar da estrutura de nações-estado da economia global para a criação de um “Corporação Mundial”, mantém Estulin.

Esta tem sido uma agenda de longa data dos chefões políticos e corporativos que compõem o Grupo Bilderberg, elites que lucrariam com a substituição da autoridade da soberania nacional por uma corporação como a ordem dominante, chefiada por banqueiros e financistas internacionais.

Estulin foi também informado por fontes dos Bilderberg em Maio deste ano que uma falsa noção de recuperação seria proferida para atrair o investimento no sistema antes de finalmente puxar a tomada, deixando o mundo em dificuldade financeira muito destrutiva para se recuperar sem uma ação radical.

As fontes de Estulin provaram ser altamente de ter sido provado altamente precisas no passado. O pesquisador previu corretamente a queda do mercado imobiliário e do colapso financeiro de 2008, baseado no suas fontes lhe disseram sobre o que havia sido discutido na reunião de 2006 no Canadá e na conferência de 2007 na Turquia.

Céticos dizem que os Bilderbergs são nada mais que um encontro para discussões informais ou um retiro de golfe para a elite. No entanto, o histórico do grupo hospedando futuros presidentes e primeiros-ministros muito antes de eles se tornarem nomes reconhecíveis na política fala por si só.

Na verdade, no início deste ano, o visconde belga Étienne Davignon e atual presidente do grupo Bilderberg alardeou que o grupo ajudou a criar o Euro, primeiramente introduzindo a agenda política por uma moeda única no início da década de 1990. A agenda dos Bilderbergs para um super-Estado federal europeu e uma moeda única provavelmente remonta ainda mais longe. Uma investigação da BBC descobriu documentos das primeiras reuniões do Grupo Bilderberg, que confirmou que a União Européia foi uma idéia do grupo.

As fontes de Estulin também lhe informaram em maio que o grupo Bilderberg mais uma vez tentaria empurrar a promulgação do Tratado de Lisboa, uma peça central da agenda para entrincheirar totalmente um super-Estado federal da União Européia, ao forçar os irlandeses a votar novamente no documento em Setembro ou Outubro. Na sequência do sim irlandês no mês passado, o Tratado parece agora estar destinado a ser aprovada em breve.

Fontes:
Infowars: G20 Meet To Finalize Dumping Of Dollar?
PRWeb: Author Says G-20 Meeting in Scotland this Week about Dumping U.S. Dollar
Site de Daniel Estulin

www.anovaordemmundial.com

terça-feira, 3 de novembro de 2009

FEMA ALERTA para o povo americano fica pronto para o pior

fema = Departamento Federal de Administração de Emergência


Dentro das doutrinas mundanas, há varios concensos diferentes, para um estranho evento que há de acontecer no mundo, que é conhecido como Hercóbulos, Planeta Chupão, Astro Intruso, Planeta Intruso, Marduk, Nibiru, o 12º Planeta, Absinto, o Sugador, o Segundo Sol, Planeta Higienizador, Higienização do planeta, Verticalização do eixo da Terra, Inversão Polar da Terra, Transição Dimensional, Transição Planetária, Planeta Frio, Planeta Vermelho, Arcóbulos, Estrela Baal, etc, etc, etc....

A agência do governo americano, FEMA, resolveu alertar a população sobre o assunto.

Não foi uma emissora de televisão, mais sim, o próprio governo norteamericano produziu um comercial de um minuto, que é veiculado em vários canais de TV, inclusive há pessoas que dizem ter visto o comercial na MTV, disponível na parabólica para todo o Brasil, via cabo em vários países.

O comercial do governo mostra a gravidade do planeta é momentâneamente cancelada, e as pessoas e objetos comessam a flutuar, e uma fortíssima luz inunda o céu. Todas as TVs pegando mal, entram com telejornais mostrando uma forte luz no céu. O relógio marca 6:15. Quando o fenômeno termina, os objetos caem, e a casa fica violentamente revirada, como num assalto. As TVs mostram as cidades, com vários prédios vazios e destruídos, e objetos voando para o céu.

O audio do comercial diz:
E se um desastre acontecer derepente??...
E se a vida na forma como você conhece, tornar-se de cabeça para baixo??...
E se tudo o que lhe é familiar, se tornar quieto??...
Antes que um desatre ponha o mundo da sua família de ponta cabeça,... só depende de você estar pronto.
Pegue um kit
Faça um plano
Esteja informado hoje

Seria um aviso que o bicho vai pegar pra valer, pedido para as pessoas prepararem seus kits de sobrevivência???

A FEMA é uma agência dos EUA, que tem construído uma grande infraestruta, como grandes alojamentos de sobrevivência (dizem que são futuros campos de concentração), o estoque de 5 milhões de caixões de plástico com capacidade para 4 corpos cada, áreas de vários hectares terraplanadas para servir de cemitério, milhares de aviões no deserto prontos para serem usados para evacuação, treilers prisões equipados com algemas e guilhotinas, e vários ônibus de "Evacuação em Massa" que tem circulado pelas estradas dos EUA.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Vêm o Chip


Tudo se aproxima rapidamente > Governo Único > Moeda Única > Exército único > Sistema integrado de impostos > Leis anti-vida > Vacinas com virus > programas de extermínio de toda uma geração > marca da besta. Sobre esta…

Embora as negações, desmentidos - mentirosos - e todo esforço da fera em esconder seus sórdidos objetivos, tudo segue rapidamente para cumprir aquilo que está escrito no Apocalipse 13, 16 Conseguiu que todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, tivessem um sinal na mão direita e na fronte, 17 e que ninguém pudesse comprar ou vender, se não fosse marcado com o nome da Fera, ou o número do seu nome. 18 Eis aqui a sabedoria! Quem tiver inteligência, calcule o número da Fera, porque é número de um homem, e esse número é seiscentos e sessenta e seis.

Assim, começa a circular nos Estados Unidos uma Propaganda do Chip, da Verimed Health LinkHuman Implantable RFID - Commercial dublado, que pode ser visto em http://www.youtube.com/watch?v=wa6fUncxhdg Aconselho todos a assitirem, porque ele contém um arrepiante cisnismo, algo sinistro, que dá a impressão asquerosa da presença de satanás. É como se, por trás da face das pessoas usadas - especialmente velhinhos - estivesse o próprio maligno a dizer: vou mostrar para vocês se eu marco ou não as pessoas para mim.

Eu consegui copiar a dublagem e transcrevo a seguir. Enquanto mãos mostram o chip dando noção de tamanho, a legenda diz: E pensar que algo tão pequeno pode conectar você a coisas que realmente importam. Quando sua vida e tudo o que você ama está por um fio. Ele está sempre com você, quando cada segundo é essencial. Na sala de emergência, providenciando imediatamente informações médicas sobre você. Porque Bob não consegue lembrar de tomar seus remédios. Porque eu amo meus netos! Porque posso planejar melhor minha vida! Porque agora cuido de duas pessoas. Porque tenho diabetes e não sei me conter. Porque gastei parte de minha vida e meus anos tentando salvar a sua. CHIP, um dia você ainda vai ter um. Ligue para 1-(866)347-4000 - Healtlinkinfo.com e encomende o séu. É gratuito!

Compreendem a gravidade? Como já desde muito tempo temos avisado, usarão da emoção, e como diz São Paulo, com palavras cheias de astucia e fingimento. Esta campanha é direcionada ao velhinhos, com problemas de de saúde. Mas percebam as dicas por trás da coisa. Se o vovô tem diabetes, e precisa de um chip que possa acionar o controlador automático da insulina, pode também mandar que seja injetada uma super dose e matá-lo não? Os vovôs aceitarão de bom grado, porque aferrados à vida, quererão receber suas aposentadorias. Nem que tenham de se sujeitar ao implante deste chip diabólico. Milhares aceitarão! O medo de morrer de fome ou de doenças é maior que o de perder as almas.

Noutro vídeo que assisti na sequência deste, mostra como a desgraça é posta debaixo da pele. Ou o diabo sopra anestesia no lugar e a pessoa não sente, ou eles precisam dar anestesia local e bem forte, porque é repulsiva a prática. Uma agulha enorme, maior do que aquelas de tirar sangue dos cavalos é enterrada sem dó nem piedade nas costas da mão da pessoa. Abre-se então um furo no couro, e o dispositivo é empurrado à força para debaixo da pele, sendo depois ajeitado para que não se torne aparente.

Ora, certa vez eu enterrei um estrepe enorme na ponta do dedo, e ficou cravado ali, e não saía nem para frente nem para trás, porque era muito seco e quebrava. Fui então ao hospital, e para a pequena cirurgia tiveram que me dar uma anestesia no músculo das costas da mão. Gente, o couro ali é super duro, e foi que me fizeram três tentativas, nas duas primeiras literalmente a agulha hipodérmica entortou, e só na terceira tentativa enterrou. Podem ter certeza de que quase fiz xixi nas calças, tamanha a dor. Minha camisa encharcou de suor!

Acontece que aquela era uma agulha fininha, mas esta tem um buraco tal, que passa um grão de arroz por dentro, folgadamente. É algo como um canudo de refrigerante, daqueles mais grossos. Eu que tenho um medo terrivel de agulha por trauma de infância de uma injeção que levei - depois de mais 55 anos ainda sinto dor no local - quando vi aquele espetáculo de tortura, quase gelei de pavor. Não pensem que se trata de algo simples o tal implante. Imagine enterrar aquele espeto medonho na testa da pessoa, onde a pele é também erijecida. Entretanto, eles mostram as pessoas sorrindo, como se estivessem recebendo uma doce carícia.

Ora, nem o filho diabo não se contorce de dor se levar uma espetada daquelas sem anestesia. No próximo livro estaremos explicando par a passo, tudo isso, para que as pessoas meditem bem, saibam como agir e se previnam, porque no Brasil também virá a marca. Antecipo apenas que: somente a marca da testa e das costas da mão direita não devem ser aceitas. Até em outros locais do corpo quem sabe, mas nestes locais não será possível o controle das pessoas. Nos cartões de crédito, fora dos locais indicados, não precisam temer nada.

Para não deixar os amigos tão assustados dizemos que, Deus tem seus truques, a besta nunca o poderá enganar. Mesmo que forem marcados à força, os filhos não poderão ser manipulados pela fera, porque neles a marca não surtirá efeito. Só nos maus ela funcionará. E não funcionará também, em quem não sabia e foi enganado pela astucias destes filhos das trevas.

Eis o que está dito em Apocalipse 14, 9….Se alguém adorar a Fera e a sua imagem, e aceitar o seu sinal na fronte ou na mão, 10 há de beber também o vinho da cólera divina, o vinho puro deitado no cálice da sua ira. Será atormentado pelo fogo e pelo enxofre diante dos seus santos anjos e do Cordeiro. 11 A fumaça do seu tormento subirá pelos séculos dos séculos. Não terão descanso algum, dia e noite, esses que adoram a Fera e a sua imagem, e todo aquele que acaso tenha recebido o sinal do seu nome. 12 Eis o momento para apelar para a paciência dos santos, dos fiéis, aos mandamentos de Deus e à fé em Jesus.

Esta paciência quer dizer: não tenham medo os justos, os filhos de Deus, os que O amam e guardam Seus mandamentos! Para estes não faltará comida, nem água, nem medicamentos, nem proteção. CONFIEM EM DEUS! A besta jamais conseguirá enganá-LO.

(aarão)

fonte: www.recadosaarao.com.br